Posts com a tag ‘Drama’


Resenha: Tormento

Desde a leitura de O Ladrão do Tempo, eu me apaixonei pela escrita de John Boyne. Existem autores pelos quais nos apaixonamos à primeira vista (ou leitura) e esse é um deles para mim. Por isso, pedi – com olhinhos do Gato de Botas! – para a Lany conseguir um exemplar de Tormento, que foi lançado em janeiro pela Editora Seguinte. Ela conseguiu porque a editora é uma querida e eu li o livro em… uma hora! Louco, não? Li antes de dormir, em uma horinha apenas. Nessa obra curtíssima, John Boyne mostra um episódio triste e atordoante de uma família. Tudo pode mudar – algumas vezes, para sempre – quando menos se espera. E o autor não poderia ter mais razão em sua frase.

“Danny Delaney curtia tranquilamente as férias, até que sua mãe volta pra casa tarde da noite, escoltada por dois policiais. Ele logo percebe que algo terrível aconteceu. A sra. Delaney havia atropelado um garotinho, que agora está em coma e ninguém sabe se vai acordar. Consumida pela culpa, ela se isola de todos ao seu redor. Caberá a Danny e seu pai impedir que a família se despedace.” Fonte

Tormento é um livro tão curtinho, tão rápido, que acho que nem é livro – é  conto, ou no máximo noveleta. Mas sua trama é tão interessante que merece vir em um livro só dele.

O guarda-roupa ficou quase vazio. Os cabides pareciam esqueletos.




Resenha: Enquanto Eu Te Esquecia

Quando foi anunciado o lançamento desse livro eu logo quis conferir, ainda mais porque a protagonista tem um nome muito parecido com o meu. rs Eu confesso que demorei mais do que queria para terminar de ler, mas talvez fosse porque eu não estava no “clima”.

ENQUANTO_EU_TE_ESQUECIASinopse: Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Encaminhada para uma clínica psiquiátrica, ela aguarda até que um homem chega afirmando ser seu noivo. Entretanto, com seu retorno para casa, essa mulher sem memória vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, e dos segredos da infância e da família, assim como da situação do noivado e dos mistérios que podem ter provocado o acidente. Será que ela quer isso de volta? Será que essa nova Lucie conseguirá manter o amor por Grady, ou a oportunidade de recomeçar será sua salvação? Intenso, franco e incrivelmente emocionante, Enquanto eu te esquecia é um livro delicado, que nos questiona sobre a maneira que vivemos e nos lembra que sempre temos uma nova chance de ser feliz. Fonte

O que é amor, ela conjeturou, o que é lembrança? Onde é que os dois se intersectam e quando deixará de importar qual veio primeiro?




Resenha: O Ladrão do Tempo

Pois é, eu ainda não conhecia John Boyne. E então comecei justamente pelo primeiro livro de sua carreira, O Ladrão do Tempo, lançado recentemente pela Companhia das Letras, e devo dizer que… como assim eu ainda não tinha lido esse autor?! Bem, agora quero ler todos os outros livros dele. Com uma escrita envolvente, extremamente habilidosa e encantadora, John Boyne me arrebatou. Se o primeiro livro dele foi uma obra-prima como essa… imagina os demais? E lá vou eu respirar fundo porque vai ser difícil escrever essa resenha: sempre é difícil falar do que amamos.

“O ano é 1758 e Matthieu Zéla resolve abandonar Paris e fugir de barco para a Inglaterra, depois de ter testemunhado o assassinato brutal da mãe pelo padrasto. Apenas um garoto de quinze anos na época, ele leva consigo o meio-irmão caçula, Tomas, criança que se vê impelido a proteger. Começando com uma morte e sempre em busca de redenção, a vida de Zéla é marcada por uma característica incomum: antes que o século XVIII acabe, ele irá descobrir que seu corpo parou de envelhecer. Sua aparência é de um homem de cinquenta anos, mas o tempo passa e seu físico continua imutável. Ele simplesmente não morre e não faz ideia de qual seja a razão para que isso ocorra. Ao final do século XX, ele resolve olhar para o passado e rememorar sua experiência de vida, incomparável à de qualquer outro ser humano. Da Revolução Francesa à Hollywood nos anos 1920, da época das Grandes Exposições à quebra da Bolsa de Nova York, Zéla transitou por inúmeros lugares, exerceu diversas profissões e conheceu pessoas notáveis, além de ter se apaixonado por muitas mulheres. Mas, mesmo séculos depois, ele continua certo de que seu verdadeiro amor foi Dominique Sauvet, uma jovem que conheceu no barco que tomou com o irmão para escapar da França. O trio se uniu para começar a nova vida na Inglaterra e Matthieu se viu totalmente encantado por Dominique. Com uma trama absolutamente instigante de amor, morte, traição, oportunidades perdidas e esperança, John Boyne já anunciava neste primeiro romance o seu talento inconfundível de exímio contador de histórias.” Fonte

Uma parte de mim não consegue entender de jeito nenhum por que os corpos das outras pessoas as abandonam com tanta frequência enquanto o meu é tão incrivelmente fiel a mim.




Resenha: Minha Metade Silenciosa

Eu vi várias críticas positivas sobre a história e por isso solicitei esse livro para leitura. Confesso que ele me passou sentimentos conflitantes porque mostra uma realidade nua e crua, angustiante, que é impossível você não se emocionar pelo menos uma vez. Ao mesmo tempo, Stark narra sua história de tal forma que você se vê sorrindo em suas descobertas.

MINHA_METADE_SILENCIOSASinopse: Stark McClellan tem 14 anos. Por ser muito alto e magro, tem o apelido de Palito, mas sofre bullying mesmo porque é “deformado”, já que nasceu apenas com uma orelha. Seu irmão mais velho, Bosten, o defende em qualquer situação, porém ambos não conseguem se proteger de seus pais abusivos, que os castigam violentamente quase todos os dias. Ao enfrentar as dificuldades da adolescência estando em um lar hostil e sem afeto – com o agravante de se achar uma aberração –, o garoto tem na amizade e no apoio do irmão sua referência de amor, e é com ela que ambos sobrevivem. Um dia, porém, um episódio faz azedar terrivelmente a relação entre Bosten e o pai. Para fugir de sua ira, o rapaz se vê obrigado a ir embora de casa, e desaparece no mundo. Palito precisa encontrá-lo, ou nunca se sentirá completo novamente. A busca se transforma em um ritual de passagem rumo ao amadurecimento, no qual ele conhece gente má, mas também pessoas boas. Com um texto emocionante, personagens tocantes e situações realistas, não há como não se identificar e se envolver com este poético livro. Fonte

O mundo para mim soa diferente de como soa para todas as outras pessoas.




Resenha: O Clone de Cristo

O Clone de Cristo foi o segundo livro que solicitei à Saída de Emergência Brasil, editora cuja promessa é trazer o melhor da fantasia, ficção científica e horror. Quando li a sinopse desse livro, bem antes do lançamento, interessei-me imediatamente. No entanto, apesar da ótima ideia, a execução foi terrível. O Clone de Cristo foi uma grande decepção. Extremamente descritivo, personagens fracos, religiosidade em excesso: com uma proposta interessantíssima, O Clone de Cristo é um livro maçante e cansativo da primeira à última página.

O_CLONE_DE_CRISTO“O Clone de Cristo é uma história fantástica sobre uma experiência secreta que pode mudar o mundo: a tentativa de clonar Jesus Cristo a partir do Santo Sudário. O Dr.Felix Rossi é o chefe da pesquisa, um conceituado cientista obcecado com duas perguntas: Será que o tecido do Sudário contém mesmo o sangue de Cristo? E o DNA ainda estará intacto? Apesar do caráter sigiloso do experimento, forças obscuras tentam impedi-lo e Rossi não tem tempo a perder: precisa encontrar uma mulher para gerar a criança. Esta trama policial arrepiante nos leva numa viagem inesquecível da alta sociedade nova-iorquina aos bares irlandeses, das igrejas do Harlem à Catedral de Turim. Uma narrativa bem construída sobre laços familiares perdidos, um homem à procura de Deus, uma mulher em busca de um sentido para a própria vida¿ e uma inesperada história de amor.” Fonte

Só os destemidos são livres e, como sabemos, são raros.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



Página 10 de 12« Primeira...89101112