Posts com a tag ‘fantasia’


Concurso Cultural: Por que você curte ler fantasia?

concursoliterario

E aí, pessoal? Prontos para um concurso cultural valendo Sombra e Ossos? Quem leu a resenha aqui no blog já sabe que eu adorei esse livro e que ele foi uma das minhas melhores leituras do ano. Agora o Por Essas Páginas e vários outros blogs, com o apoio da Editora Gutenberg, trazem a chance de vocês também ganharem um exemplar desse super lançamento! Preparados? Então vamos lá conhecer as regras!

Continue lendo…




Resenha + Promoção: O Livro do Amanhã

Demorou, mas saiu! Faz tempo que li O livro do amanhã, mas aconteceram TANTAS coisas aqui do outro lado da tela que não conseguia postar a resenha dele. Pois bem, não apenas teremos a resenha, como também uma promoção. Mas vamos por partes, primeiro, a resenha.

O_LIVRO_DO_AMANHASinopse: Nascida no luxo, Tamara Goodwin, de 16 anos, nunca precisou olhar para o amanhã, até que a morte abrupta de seu pai deixa a ela e a sua mãe uma montanha de dívidas e as obriga a se mudarem para a casa dos tios de Tamara, em um vilarejo no interior. Solitária e entediada, a única diversão de Tamara é uma biblioteca itinerante. E ali, ela encontra um livro muito misterioso. Tamara vê inscrições com sua própria letra e datadas para o dia seguinte. Quando tudo acontece exatamente como o livro previa, ela percebe que pode ter encontrado a solução para seus problemas. No entanto, Tamara descobre que é melhor não virar algumas páginas e que, apesar de muito tentar, não pode mudar o destino. Fonte

Embora eu tenha um exemplar de P.S. Eu te amo, esse é o primeiro livro de Cecelia Ahern que eu li.  A leitura é intrigante e, embora algumas partes pareçam monótonas ou descritivas demais, ela consegue aguçar sua curiosidade a partir de determinado ponto da história que é difícil largar o livro antes do final.

“Dizem que uma história perde algo cada vez que é contada. Se assim for, esta nada perdeu, pois a contarei pela primeira vez.”

Continue lendo…




Resenha: Sombra e Ossos

Quando o blog foi convidado a ler e resenhar Sombra e Ossos antes do lançamento pela Editora Gutenberg fiquei bastante empolgada. Confesso que não conhecia a série, mas a sinopse chamou minha atenção e alguns dados sobre o livro, como o fato de ele ter sido elencado como um dos melhores do ano e ser altamente recomendado por Rick Riordan, foram suficientes para despertar minha curiosidade. Logo que recebi a prova do livro aqui em casa (me sentindo super importante – hohoho), comecei a ler imediatamente e a história me prendeu do início ao fim. Envolvente e cativante, Sombra e Ossos entrou para a minha lista de favoritos e estou enlouquecida para ler os próximos livros. Quer saber o porquê?

“Alina Starkov nunca esperou muito da vida. Órfã de guerra, ela tem uma única certeza: o apoio de seu melhor amigo, Maly, e sua inconveniente paixão por ele. Cartógrafa de seu regimento militar, em uma das expedições que precisa fazer à Dobra das Sombras – uma faixa anômala de escuridão repleta dos temíveis predadores volcras –, Alina vê Maly ser atacado pelos monstros e ficar brutalmente ferido. Seu instinto a leva a protegê-lo, quando inesperadamente ela vê revelado um poder latente que nunca suspeitou ter.

A partir disso, é arrancada de seu mundo conhecido e levada da corte real para ser treinada como um dos Grishas, a elite mágica liderada pelo misterioso Darkling. Com o extraordinário poder de Alina em seu arsenal, ele acredita que poderá finalmente destruir a Dobra das Sombras.

Agora, ela terá de dominar e aprimorar seu dom especial e de algum modo adaptar-se à sua nova vida sem Maly. Mas nesse extravagante mundo nada é o que parece. As sombrias ameaças ao reino crescem cada vez mais, assim como a atração de Alina pelo Darkling, e ela acabará descobrindo um segredo que poderá dividir seu coração – e seu mundo – em dois. E isso pode determinar sua ruína ou seu triunfo.” Fonte

Eu não sou do tipo que muda o mundo.




A Cuca Entrevista: Roberta Spindler

Oi pessoal! Dessa vez a Cuca não apenas recomenda que leiam imediatamente Contos de Meigan – A Fúria dos Cártagos, como também entrevista a talentosa autora Roberta Spindler! (ok, agora vocês me imaginam vestida como a Cuca, entrevistando a Roberta! rs) Acabei usando todas as perguntas dos leitores lá da resenha do livro e acrescentei mais algumas perguntas minhas (afinal, quem mais perguntaria sobre os tais hipopótamos, hein?). ‘Bora lá então conhecer essa queridona?

roberta_spindlerRoberta Spindler nasceu em Belém do Pará, em 1985. Graduada em publicidade, atualmente trabalha como editora de vídeos. Nerd confessa, adora quadrinhos, games e RPG. Escreve desde a adolescência e é apaixonada por literatura fantástica. Tem contos publicados em diversas antologias e é co-autora do romance Contos de Meigan – A Fúria dos Cártagos. Fonte

Clique aqui e conheça todas as publicações da autora.

Continue lendo…




A Cuca Recomenda: Contos de Meigan – A Fúria dos Cártagos

Fala aí, pessoal! Faz um tempinho que eu não apareço por aqui com a minha fantasia de Cuca, não é? Bem, acontece que a Cuca foi pega (na verdade, completamente abduzida) por essa obra fantástica brasuca da Roberta Spindler e da Oriana Comesanha. Já falei um pouquinho de Contos de Meigan aqui nesse post de expectativas. Conheci a querida da Roberta através dos meus contatos literários como autora e ela resolveu me mandar o livro quando descobriu que eu postava aqui no Por Essas Páginas. Que sorte a minha, porque esse livro é um achado. Em uma única palavra: épico! ‘Bora lá saber se A Cuca Recomenda?

“Meigan é um mundo diferente do nosso, morada de seres especiais e poderosos que se denominam magis. Na aparência são exatamente como nós, mas as diferenças não podem ser ignoradas por muito tempo. Os magis tem uma relação especial com a natureza e seus elementos, moldando-os a sua vontade e apoderando-se de sua força. Esses elementos, chamados mantares, não se limitam apenas aos conhecidos fogo, terra, ar e água. Existem muitos outros, como as sombras, o tempo e até mesmo o controle sobre o próprio corpo. Ter a capacidade de decifrar, entender e interagir com a natureza é um dos principais requisitos para a evolução de um magi. Para tanto, deve-se, primeiramente, entender que tudo faz parte da mesma manifestação natural e que toda matéria e energia estão inseridas em um processo dinâmico e universal. Contos de Meigan – A Fúria dos Cártagos começa com Maya Muskaf preparando-se para voltar para casa. Depois de três anos vivendo na Terra, o momento de retornar a Meigan finalmente havia chegado. Estava preocupada, pois algo afetava seu controle sobre os mantares, talvez algum resquício da misteriosa doença que a debilitou durante a infância. Com medo de estar novamente doente e para conseguir respostas, decidiu deixar de lado as diferenças com sua mãe, a principal governante do mundo magi. Voltaria a Katur, capital de Meigan, e pediria perdão por todas as brigas passadas. Assim, abandonou sua vida terrena e entrou na primeira caravana que encontrou. Entretanto, seus planos acabaram tomando um rumo muito diferente daquele que imaginara. No caminho de volta, os soldados que a escoltavam acabaram encontrando destroços e um corpo no chão. Logo que avistou o homem morto, com os cabelos tão brancos quanto sua pele e os olhos inteiramente negros, Maya soube que se tratava de um dos cártagos – antigos magis que traíram seu povo e por isso foram banidos para uma dimensão paralela. As implicações para tal presença em território magi eram gravíssimas e não demorou muito para que a garota e seus companheiros descobrissem que os magis traidores estavam tomando o Solo Sagrado e derrubado seus portões de defesa. Agora, em meio ao caos de uma violenta batalha, Maya vai precisar lutar para sobreviver e conseguir responder as perguntas que tanto lhe afligem. Como os cártagos conseguiram acesso ao Solo Sagrado? Onde estavam os guardiões dos portões, os mais poderosos guerreiros de Meigan? E, a mais importante de todas, conseguiria chegar a Katur a tempo de encontrar sua mãe?” Fonte

Sinopse enorme, não? Pois é, ela faz jus ao livro que também é GIGANTE! Sim, eu preciso colocar em letras maiúsculas para tentar exprimir bem o sentimento. Então se prepare porque essa é leitura longa (do livro e da resenha).

– Maya, não sou muito bom em conselhos, pois nem mesmo sei o que é melhor para mim. Não sei de onde as pessoas me chamam de Sábio, talvez pelas piadas que conto. Sou muito bom com piadas, você conhece a do anão que encontrou um apoc e…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...