Posts com a tag ‘narrativas no por essas páginas’


Narrativas no PEP: O finado Sr Gallet

pep-finado
Um romance policial quase nunca decepciona. A tensão, a vontade ela próxima página e o desejo de desvendar o mistério sempre nos atiça a continuar a ler. Todavia, o comissário Maigret não me convenceu.

Continue lendo…




Narrativas no PEP: Pequenas Grandes Mentiras

biglittle
Eu nunca fui uma pessoa muito ligada a autores, confesso. Sempre tive dificuldades em lembrar o nome da pessoinha que escreveu um livro que curti muito, assim como em me apegar a lançamentos. Pois bem, Lianne Moriarty mudou isto em mim!

Continue lendo…




Narrativas no PEP: Por Lugares Incríveis

porlugaresincriveis
 

POR LUGARES INCRÍVEIS é um livro que surpreende de maneira positiva. Desde a escrita leve e deliciosa até a história que mostra como aproveitar bem um clichê, o livro nos traz sentimentos distintos e reviravoltas interessantes de uma única vez.

Continue lendo…




Narrativas no PEP: Por que Indiana, João?

Atualmente, YA e bullying estão em alta. E POR QUE INDIANA, JOÃO? aborda as duas temáticas com uma escrita bastante fluída e de agradável leitura.

indiana

Continue lendo…




Narrativas no Por Essas Páginas: Esta É uma História de Amor

 esta-e-uma-historia-de-amor_1.jpg.1000x1353_q85_crop

Um rapaz conhece uma menina e a menina se apaixona pelo rapaz – até aí, nenhuma novidade. Mas, com Sienna e Nick, as coisas não acontecem do jeito que costumam acontecer nas histórias de amor. Tudo bem que ela o achou super parecido com o Jake Gyllenhaal, seu ator preferido. E ele teve o maior frio na barriga quando viu aqueles lindos olhos azuis-escuros no metrô. Nada disso importa quando a gente está fechado para balanço. Ela é frágil… Tem tantos segredos. E ele não está a fim de nada sério. Engraçada e ao mesmo tempo triste, esta é a história de duas pessoas destinadas a não ficarem juntas… mesmo sendo a coisa que elas mais querem no mundo.

Muitos livros contam com clichês, e isso não significa histórias ruins. Muitas vezes, o que queremos é o clichê, o final esperado e a história bonita e meiga sendo finalizada com louvor do “senhor óbvio”.

Entretanto, não é sempre que encontramos o bom uso desse artifício. Quando mal posto, construído e evoluído, o clichê cansa o leitor e destrói qualquer narrativa minimamente boa.

Continue lendo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...