Posts com a tag ‘piratas’


Queridinho do mês: Capitão Gancho

Meu queridinho dessa vez é muito antigo. Mais antigo que ele acho que só a Mônica mesmo (leia o post da Dona da Lua Rua aqui). Portanto, esse texto não é por causa de um certo pirata gostosão de Once Upon a Time (cofLanyviucof), mas sim por causa de um pirata com um chapéu enorme e vermelho e um bigodão ridículo que tem medo de um… crocodilo (mas eu também gosto MUITO do pirata gostosão (tira o olho dele, Lany!).

captain_hook_by_roolka-d5d9r7qMeu primeiro contato com o fantástico Capitão Gancho (ou James Hook, mas eu gosto mais de “Gancho” mesmo), não foi com os livros de J. M. Barrie, mas sim com “Hook” (no Brasil, “Hook – A Volta do Capitão Gancho“), o longa de Steven Spielberg de 1991. Eu assistia esse filme quando era criança, na Seção da Tarde, não importava quantas vezes ele passasse. Eu até sei falas de cor (ainda continuo sabendo!). E, apesar de amar Peter Pan nesse filme (interpretado pelo meu ator preferido na infância, Robin Williams), é impossível não amar o Capitão Gancho (interpretado pelo incrível Dustin Hoffman). Para começar, o nome dele está no título, caham, mas o mais importante mesmo é que não existe Peter Pan sem Capitão Gancho, como afirma o próprio pirata (mas o contrário, sim, como ficou provado em OUAT!).

What would the world be like without Captain Hook?




A Cuca Recomenda: A Ilha dos Ossos

A Ilha dos Ossos é a continuação de O Castelo das Águias, primeiro livro da série fantástica de Athelgard da competente autora Ana Lúcia Merege. Adquiri esse livro há algum tempo, mas só agora pude lê-lo, já que a pilha – ah, a pilha – nunca acaba, só cresce. Mas estava bem curiosa para saber como a autora continuaria a série, já que o primeiro livro fecha muito bem um final. É claro que você percebe que o mundo de Athelgard abriga muitas histórias, mas não havia um gancho para uma continuação, o que não acho ruim, mas interessante, porque realmente não me agradam ganchos apelativos, daqueles que parece que você não terminou de ler o livro. Ao ler o segundo volume, percebi que essa é realmente uma característica da série: esse é um livro que você pode ler sem a leitura do anterior – já que a autora se preocupa em ambientar bem o leitor no início, mas acredito que você aproveitará mais a história se o fizer. Com personagens mais maduros e uma escrita mais vigorosa, A Ilha dos Ossos é uma ótima obra de fantasia que os fãs do gênero precisam conhecer.

“Após ter derrotado seu maior rival, o mago Kieran de Scyllix deseja apenas deixar para trás seu passado de guerras e segredos e ser feliz ao lado de Anna. No entanto, a sede da jovem Mestra de Sagas por conhecimento e aventura nem sempre torna as coisas fáceis para o casal. Durante uma viagem para encontrar uma confraria de bardos, ela desaparece misteriosamente, e Kieran é obrigado a seguir suas pistas através dos pântanos e mares de Athelgard. Pelo caminho ele irá encontrar aliados improváveis – barqueiros, religiosos e uma trupe de saltimbancos – e enfrentará piratas e guerreiros, além de se deparar com seres que até então só vira em antigos livros de Magia. E a maior surpresa de todas o aguarda no destino final… A Ilha dos Ossos, romance fantástico de Ana Lúcia Merege, é o segundo da série iniciada por O Castelo das Águias (2011) no mundo de Athelgard. Inspirado nas lendas celtas e com grande sensibilidade artística, a autora cria personagens que habitam esse mundo que parece vindo de contos de fadas, mas nem sempre com finais felizes.” Fonte

Nenhum homem é uma ilha.




Resenha: A Quase Honrosa Liga de Piratas – O tesouro da Encantadora

Eu já disse pra vocês o quanto eu AMO piratas, certo? Pois bem, é quando aparece um e-mail maravilhoso da Editora Seguinte e da Companhia das Letras oferecendo a prova de um livro fofíssimo de piratas para os blogs. É claro que eu logo me candidatei para a tarefa e, como os ventos dos sete mares estavam a meu favor, fui sorteada e recebi essa prova linda e caprichada da editora. Sério, gente, nem parece prova, é quase uma edição econômica do livro. Fiquei impressionada. A Quase Honrosa Liga de Piratas – O tesouro da Encantadora é um romance infanto-juvenil cheio de fantasia e aventura, que certamente vai envolvê-lo em uma leitura mágica e “piratesca”, como define a protagonista.

A quase honrosa liga de piratas_bx“Quando Hilary decidiu que queria ser pirata, nem imaginava que estava prestes a participar da caça ao maior tesouro de todos os tempos. Afinal, tudo o que a preocupava era fugir da Escola de Aprimoramento da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, onde as jovens da alta sociedade aprendiam a valsar, desmaiar e se comportar à mesa. Hilary não via utilidade alguma naquelas lições e queria se juntar à Quase Honrosa Liga de Piratas. Qualificações não lhe faltavam, mas a Liga não admitia garotas em sua equipe de algozes e pilantras.

Decidida a partir para alto-mar a qualquer custo, Hilary responde ao anúncio de um pirata autônomo em busca de membros para sua tripulação. De repente, ela se vê no meio de uma aventura marítima em busca do tesouro mais valioso do reino: o tesouro da Encantadora. Para encontrá-lo, ela contará com um mapa sem X e precisará enfrentar o vilão mais traiçoeiro — e surpreendente — de todos os mares.”

Quando você passa muito tempo com piratas, acaba se acostumando com mentiras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



Página 2 de 212