Posts com a tag ‘policial’


A Cuca Recomenda: Os Viúvos

Todo mundo sabe que a Cuca ama Mario Prata. Assim, amo mesmo, do fundo do coração. Então é ao Pratinha que recomendo quando quero ler um livro que tenho certeza que será bom ou então quando quero ler algo mais leve, com humor, para desanuviar das (várias!) leituras tenebrosas que faço (sim, Dias Perfeitos, eu fiquei tão traumatizada com você que procurei um livro de humor depois da leitura!). Mas acontece que, dessa vez, Os Viúvos, livro da série do detetive Ugo Fioravanti, que começou com o sensacional Sete de Paus… bem, dessa vez o livro simplesmente não atingiu todas as minhas altas expectativas. Foi um livro bom, não excepcional. E isso me deixou bem triste porque, oras, vou dizer novamente: eu amo Mario Prata. Mas nem sempre vamos amar todos os livros de nossos autores favoritos, certo?

“Os viúvos traz uma nova aventura do detetive Ugo Fioravanti e seu fiel companheiro Darwin Matarazzo na bela ilha de Florianópolis. Desta vez, o ex-policial federal e agora detetive particular, Fioravanti, terá que desvendar dois sequestros, encontrar uma mulher a pedido do príncipe de Dubai e descobrir quem é o louco remetente E.R.N., que lhe envia e-mails com desabafos sobre sua vida tediosa, seus problemas com a Receita Federal e com avisos dos vários crimes que cometerá. Será que os acontecimentos e os e-mails misteriosos têm alguma ligação? Quem é, afnal de contas, esse tal E.R.N.? Além da tumultuada rotina de uma investigação criminal, Fiora ainda precisa lidar com um triângulo amoroso envolvendo uma ex-namorada e sua filha e resolver os problemas matrimoniais de Darwin, seu assistente.” Fonte

Não existem turistas em Floripa. Existe é um bando de argentinos.




A Cuca Recomenda: Dias Perfeitos

Confesso: eu já estava com uma pilha enorme de livros quando a Companhia das Letras enviou a newsletter do mês e até pensei em deixar passar, afinal, sempre tem tanta coisa pra ler. Mas aí li a sinopse de Dias Perfeitos e pensei na hora: “tenho que ler esse livro”. Somente a sinopse já me impressionou imensamente, mas isso não chega nem perto do sentimento que tive ao ler esse livro. Devorei-o em menos de dois dias, de um sábado para um domingo. Extremamente perturbador, invasivo, inquietante: Dias Perfeitos é um livro que você tem que conhecer – e não vai se esquecer dele tão cedo.

“Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.” Fonte

Ela fechou os olhos. Enxugou as lágrimas no algodão. Voltou ao banheiro para retirar o batom e retocar a dignidade.




Resenha: Sete dias em River Falls

Sabe aquele livro que você acha que vai ser de uma forma, mas é de outra completamente diferente? Foi assim com Sete dias em River Falls. Não de forma totalmente negativa, embora eu esperasse mais da leitura. Vou explicar melhor logo abaixo.

SETE_DIAS_EM_RIVER_FALLSSinopse: Algumas garotas escondem terríveis segredos…Sarah Kent é uma estudante brilhante e leva uma vida tranquila em meio à elite da universidade de River Falls, uma cidadezinha perto das Rochosas, no estado norte-americano de Washington. Mas tudo muda numa manhã de primavera: Amy Paich e Lucy Barton, as duas melhores amigas de Sarah em sua cidade natal, são encontradas no fundo de um lago, terrivelmente mutiladas. As duas não falavam mais com Sarah, mas tinham mandado um estranho convite para a amiga dois dias antes dessa tragédia.A vida de Sarah se transforma num pesadelo. Seria ela a próxima vítima do assassino? A garota parece esconder um terrível segredo, como se um laço misterioso ainda a ligasse a Amy e Lucy… Mistérios que o xerife Mike Logan tentará resolver, com a ajuda de Jessica Hurley, sua ex-namorada e famosa profiler do FBI. Eles pensam estar na pista certa, mas seu adversário é perverso e os manipula com facilidade…  Fonte

Continue lendo…




Resenha: Boneco de Neve

Depois de toda a campanha de marketing em cima desse lançamento da Record, eu fiquei ainda mais ansiosa para lê-lo, e olha que eu já queria assim que vi a lista de lançamentos. Afinal, é policial e tem na capa a frase “macabro e perturbador”, o que para mim é como um letreiro em neon dizendo “LEIA AGORA!”. Sou a leitor mais psicótica aqui do blog e, por isso, livros de terror – ou com algo disso – são comigo mesmo. Mas vou ser petulante e dizer que o The Guardian, que classificou o livro desse jeito, precisa ler mais livros macabros, porque Boneco de Neve não perturbou nadinha. Se vocês querem algo realmente perturbador, por favor, voltem lá na resenha de Nada, que também é da Record, e aí sim se sintam incomodados pra valer. Aquilo sim foi um um #epicwin. Agora, Bonece de Neve é assim, assim, nada demais, sabe? Leiam a resenha e entendam porque esse livro não fez nem cosquinha.

“Considerado seu livro mais ambicioso pelo jornal inglês The Guardian e comparado a Silêncio dos Inocentes, de Thomas Harris, pelo The Times, Boneco de neve é o seu livro mais arrepiante. No dia da primeira neve do ano, na fria cidade de Oslo, o inspetor Harry Hole se depara com um psicopata cruel, que cria suas próprias regras; O terror se espalha pela cidade, pois um boneco de neve no jardim pode ser um aviso de que haverá uma próxima vítima. No caso mais desafiador da sua carreira, Hole se envolve em uma trama complexa e mortal, com final surpreendente.” Fonte

Não, nada desaparecia, só estava em outro lugar.




Resenha: Esconda-se

Novo livro da Lisa Gardner? É claro que corri para ler. Depois de ler Sangue na Neve (resenha aqui), eu me apaixonei pela escrita empolgante da autora. Esconda-se, porém, apesar de ser um bom livro, não é tão incrível quanto Sangue na Neve. Talvez por ser um dos primeiros livros da série de Lisa Gardner. Ou talvez por outros motivos. Entenda o porquê nessa resenha.

“Uma mulher que foi obrigada a fugir — desde criança— de uma possível ameaça. Uma ameaça que seu pai via em todo lugar, mas que a polícia nunca considerou. Um antigo e desativado sanatório para doentes mentais que pode ter muito mais a esconder entre suas paredes do que homens e mulheres entorpecidos por remédios. Uma história de rancor entre membros de uma mesma família que nunca conseguiram superar os episódios de violência doméstica que presenciaram. Um pingente que foi parar em mãos erradas — e a cena de um crime brutal: seis meninas mortas e mumificadas há mais de trinta anos. Agora, cabe à famosa detetive D.D. Warren descobrir quem foi o serial killer que cometeu esta atrocidade e que motivação infame deformou sua mente. Acompanhe D.D. Warren na solução de mais este complexo caso e encontre o inimaginável que está por trás de pessoas aparentemente comuns!” Fonte

Descobri que mentir vicia tanto quanto qualquer droga.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...