Posts com a tag ‘Suspense’


Resenha: O Clone de Cristo

O Clone de Cristo foi o segundo livro que solicitei à Saída de Emergência Brasil, editora cuja promessa é trazer o melhor da fantasia, ficção científica e horror. Quando li a sinopse desse livro, bem antes do lançamento, interessei-me imediatamente. No entanto, apesar da ótima ideia, a execução foi terrível. O Clone de Cristo foi uma grande decepção. Extremamente descritivo, personagens fracos, religiosidade em excesso: com uma proposta interessantíssima, O Clone de Cristo é um livro maçante e cansativo da primeira à última página.

O_CLONE_DE_CRISTO“O Clone de Cristo é uma história fantástica sobre uma experiência secreta que pode mudar o mundo: a tentativa de clonar Jesus Cristo a partir do Santo Sudário. O Dr.Felix Rossi é o chefe da pesquisa, um conceituado cientista obcecado com duas perguntas: Será que o tecido do Sudário contém mesmo o sangue de Cristo? E o DNA ainda estará intacto? Apesar do caráter sigiloso do experimento, forças obscuras tentam impedi-lo e Rossi não tem tempo a perder: precisa encontrar uma mulher para gerar a criança. Esta trama policial arrepiante nos leva numa viagem inesquecível da alta sociedade nova-iorquina aos bares irlandeses, das igrejas do Harlem à Catedral de Turim. Uma narrativa bem construída sobre laços familiares perdidos, um homem à procura de Deus, uma mulher em busca de um sentido para a própria vida¿ e uma inesperada história de amor.” Fonte

Só os destemidos são livres e, como sabemos, são raros.




Resenha: Segredos e Mentiras

Solicitei esse livro à Editora Arqueiro sem muitas expectativas. Quando comecei a lê-lo, no entanto, fiquei completamente surpresa em como ele era bom. Na verdade, ele foi quase perfeito. Envolvente e imersivo, muitas vezes angustiante, Segredos e Mentiras vai surpreendê-lo e despertar vários questionamentos dramáticos e controversos. Não se engane pela capa aparentemente simples: ela tem muito mais a dizer, assim como esse livro.

“Cara Anna, Já comecei esta carta várias vezes e aqui estou, começando-a novamente, sem fazer a mínima ideia de como lhe dizer. A carta não terminada é a única pista que Tara e Emy têm para entender o que levou sua amiga Noelle ao suicídio. As três eram inseparáveis desde a faculdade e tudo a respeito de Noelle – seu trabalho de parteira, a forma como se dedicava apaixonadamente a diversas causas sociais, seu amor pelos amigos e a família – se encaixava na descrição de uma mulher que amava a própria vida.

Só que havia muitas coisas que Tara e Emy desconheciam. Por exemplo, quem é Anna e por que Noelle nunca a mencionara.

Com a descoberta da carta e do terrível segredo que a motivou, as duas começam a desvendar a verdade sobre essa mulher forte, independente e gentil que entrou em suas vidas trazendo amor e compaixão, mas que também pode ser a responsável por muitas tristezas e ilusões.

Com delicadeza e equilíbrio, Diane Chamberlain constrói uma história sensível sobre amizade e relacionamentos e levanta a pergunta: até que ponto você seria capaz de perdoar alguém que ama?” Fonte

Às vezes é difícil expressar o amor que sentimos por alguém. A gente diz as palavras, mas não consegue expressar a profundidade. Não consegue abraçar forte o bastante.




Resenha: O Jantar

Aí eu li essa resenha bombástica e incrível no blog S2 Ler (sério, gente, é só a Mari indicar um livro que pimba, eu quero ler! Ela é ótima!) e fiquei roendo as unhas querendo ler O Jantar, do até então desconhecido autor (para mim), o holandês Herman Koch, lançado pela Editora Intrínseca esse ano. Minhas expectativas estavam altíssimas e dessa vez alegro-me em dizer: elas foram superadas. O livro ganhou 5 estrelas com louvor – na verdade ganharia 6, 7… 10! Thriller sensacional. ‘Bora lá entender porque esse livro me conquistou?

“Em uma noite de verão, dois casais se encontram em um restaurante elegante. Entre um gole e outro de vinho e o tilintar de talheres, a conversa mantém um tom gentil e educado, passando por assuntos triviais como o preço dos pratos, os aborrecimentos do trabalho, o próximo destino de férias. Mas as palavras vazias escondem um terrível conflito, e, a cada sorriso forçado e cada novo prato, o clima fica ainda mais tenso.

Um fenômeno best-seller internacional, um suspense sombrio, conto altamente controverso de suas famílias que lutam para tomar a decisão mais difícil de suas vidas no percorrer de uma refeição. (…) Assim como a civilidade e amizade desintegra-se cada casal mostra o quão longe eles estão dispostos a ir para proteger aqueles que ama. Uma escrita tensa e incrivelmente emocionante, contada por um narrador inesquecível, O Jantar promete ser o tema de inúmeros jantares. Espetando tudo, desde os valores dos pais, menus pretensiosos a convicções políticas, este romance revela o lado obscuro da gentil sociedade e pergunta o que cada um de nós faria em face de uma inimaginável tragédia.” Fonte

Era como se o prato vazio o desafiasse a tirar uma satisfação sobre ele, ir à cozinha aberta e exigir uma explicação. Você não ousaria!, dizia o prato, e ria da sua cara.




Resenha: Boneco de Neve

Depois de toda a campanha de marketing em cima desse lançamento da Record, eu fiquei ainda mais ansiosa para lê-lo, e olha que eu já queria assim que vi a lista de lançamentos. Afinal, é policial e tem na capa a frase “macabro e perturbador”, o que para mim é como um letreiro em neon dizendo “LEIA AGORA!”. Sou a leitor mais psicótica aqui do blog e, por isso, livros de terror – ou com algo disso – são comigo mesmo. Mas vou ser petulante e dizer que o The Guardian, que classificou o livro desse jeito, precisa ler mais livros macabros, porque Boneco de Neve não perturbou nadinha. Se vocês querem algo realmente perturbador, por favor, voltem lá na resenha de Nada, que também é da Record, e aí sim se sintam incomodados pra valer. Aquilo sim foi um um #epicwin. Agora, Bonece de Neve é assim, assim, nada demais, sabe? Leiam a resenha e entendam porque esse livro não fez nem cosquinha.

“Considerado seu livro mais ambicioso pelo jornal inglês The Guardian e comparado a Silêncio dos Inocentes, de Thomas Harris, pelo The Times, Boneco de neve é o seu livro mais arrepiante. No dia da primeira neve do ano, na fria cidade de Oslo, o inspetor Harry Hole se depara com um psicopata cruel, que cria suas próprias regras; O terror se espalha pela cidade, pois um boneco de neve no jardim pode ser um aviso de que haverá uma próxima vítima. No caso mais desafiador da sua carreira, Hole se envolve em uma trama complexa e mortal, com final surpreendente.” Fonte

Não, nada desaparecia, só estava em outro lugar.




Top Ten Tuesday: As dez capas mais assustadoras

ttt2013

Dia das Bruxas está chegando e quer coisa mais apropriada para essa semana do que falar de… capas assustadoras? (solta a música de terror aí, DJ!). Sério, eu imaginei meio que o narrador de Thriller (a música) dizendo isso. Mas tudo bem, ‘bora para o que interessa. Sabe quando você olha uma capa e já sente aquele medão (ou ao menos um desconforto passageiro?). Comigo é meio difícil alcançar o medo assim tão fácil, apenas com uma imagem… Geralmente eu sinto só um arrepio que é o prenúncio do horror. Pois bem, essas são as capas que me dão essa sensação.

Lembrando que o Top Ten Tuesday é uma iniciativa do blog The Broke and the Bookish!

Continue lendo…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



Página 10 de 13« Primeira...89101112...Última »