Top Ten Tuesday: 10 livros escritos nos últimos 10 anos que espero que as pessoas ainda leiam daqui a 30 anos

Uau. Que título comprido tem o Top Ten Tuesday dessa semana, não? Nem coube direito ali em cima. Tentem ler esse título bem rápido, sem enrolar a língua! Bem, isso não importa agora, o que importa é que eu tenho um montão de livros que eu desejaria ver as pessoas lendo daqui a 30 anos (inclusive meus filhos – quando eu os tiver um dia), e para minha sorte, muitos deles foram escritos na década passada, então temos muito pano para a manga no post de hoje.

Harry Potter e a Pedra Filosofal, J.K. Rowling

Vocês vão dizer: de novo você começando uma lista com Harry Potter?! Mas o que eu posso fazer, se eu já obriguei meu marido (na época, namorado, primeira semana) a ler, minha irmã, minha gata, meus amigos e com certeza farei meus filhos lerem essa série maravilhosa? Eu quero que todos estejam lendo essa série daqui a 30 anos (e eu tenho certeza que isso vai acontecer). Eu me imagino lendo Harry Potter para meus filhos. Desejo de coração que o máximo de pessoas possível sinta a magia desse mundo e dessas personagens, que viraram melhores amigos de tanta gente. Eu quero que todos façam essa viagem, várias e várias vezes, e sorriam no final da mesma maneira que eu sorri. E claro, para começar a aventura, apanhem seus exemplares do primeiro livro “A Pedra Filosofal”, lançado em 1997 no Reino Unido, mas aqui no Brasil em 2000 (uau, já faz tudo isso?), e embarquem no Expresso de Hogwarts! Ok, fazem 12 anos que o livro foi lançado aqui, mas como é uma série que durou por todo esse tempo, entrando com outros livros nos 10 anos da lista, bem, basta dizer que Harry merece estar aqui.

O Circo da Noite, Erin Morgenstern 

Essa foi uma escolha bem emotiva da minha parte. Eu acabei de ler O Circo da Noite, lançado aqui no Brasil nesse ano de 2012 mesmo (vocês podem ler a resenha apaixonada que me fez lê-lo aqui), e simplesmente achei um livro tão belo e sensível, tão poético, comovente e cheio de emoção – e paixão – que eu gostaria que daqui a 30 anos as pessoas ainda sentissem todas essas sensações que eu tive. Ler esse livro foi como entrar dentro de um sonho, e como já foi dito na contracapa, no final, a minha única decepção foi saber que eu jamais poderia comprar um ingresso. Mas para isso, eu sempre posso lê-lo novamente e passar essa dica de leitura adiante. Afinal, a maior magia, no final, são realmente as palavras.

3096 dias, Natascha Kampusch

Quando eu soube sobre esse livro, uma história real, lançado em 2011, eu corri para comprá-lo (e eu dificilmente faço isso, só quando eu quero muito mesmo). É a história de uma menina, sequestrada e mantida em cativeiro por 3096 dias, que virou adolescente e mulher nas mãos de um homem perturbado, e mostra até que ponto a humanidade pode ser cruel e, por outro lado, corajosa e altruísta. A história de Natascha é terrível e emociona, principalmente pela fibra que ela teve para suportar todos esses anos, e no final do livro você se sente pequenino diante dela, uma pessoa excepcional, que passou por tudo isso e seguiu adiante (e nós aqui reclamando). Ainda vou fazer uma resenha desse livro (preciso relê-lo). Mas eu desejo que as pessoas estejam lendo esse livro daqui a 30 anos para lembrar o quanto podemos ser horríveis, o quanto podemos ser bons, e eu espero que daqui a 30 anos isso seja somente uma lembrança, e que ninguém mais tenha que passar por esse sofrimento.

A menina que roubava livros, Markus Zusak

Esse livro também é belo, sensível e poético, mas diferente de O Circo da Noite, não é como entrar em um sonho, e sim em um pesadelo. Lançado em 2007, A menina que roubava livros (resenha aqui) conta a história de Liesel, uma menina que cresceu em meio aos horrores da 2ª Guerra Mundial, na Alemanha nazista, apenas tentando viver da melhor maneira possível. É uma história que fala sobre a maravilha e o horror das palavras, sobre amor, amizade e superação, de uma maneira tão linda, que só se você tiver coração de pedra para não se emocionar. E apesar de ser ambientado há tantos anos, seus temas continuam sempre atuais. É algo para ser lido e relido, por muito e muito tempo, uma história que não pode ser esquecida.

A cidade do sol, Khaled Hosseini

Outro livro que traz uma mensagem muito profunda, e que deve ser lido e relido por gerações. “A cidade do sol” (2007) narra a história de duas mulheres muito diferentes, com vidas completamente opostas, que se encontram em um momento em que ambas estão completamente sós e devastadas, em um país onde as mulheres não significam nada. O livro fala sobre machismo, sobre dignidade, sobre força, destino e superação ante a vida que nos é dada. É impossível não se comover e se colocar no lugar dessas duas mulheres, que representam tantas outras, em tantos lugares, que passam a vida apenas suportando, suportando a dor, a humilhação e as lágrimas.

As Vidas de Chico Xavier, Marcel Souto Maior

Apesar de falar sobre a vida de um médium espírita, não acho que esse livro deva ser lido apenas pelas pessoas que praticam ou acreditam nessa doutrina. Lançado em 2003, um ano após a morte de Chico, “As Vidas de Chico Xavier” é um livro para ser lido por qualquer pessoa, que tenha qualquer crença, ou que não tenha crença alguma. É a história da vida de um brasileiro que foi um exemplo de ser humano, de caridade, respeito, humildade e amor. Um homem que doou sua vida pelo bem ao próximo. Ao final dessa leitura, inevitavelmente, tornamos-nos pessoas melhores, e passamos a crer que se tentarmos ser ao menos um pouquinho do que esse homem foi, nossa vida terá valido a pena. É uma leitura que jamais se tornará obsoleta.

A Torre Negra, Stephen King

Não poderia faltar o meu autor preferido nessa lista. Na verdade, eu gostaria de indicar toda a série, mas de todos seus livros, esse foi o que mais me marcou, pois trouxe também uma mensagem que tocou fundo, ao menos para mim. “A Torre Negra” (2004) fecha o ciclo da fantasia épica de Stephen King (na verdade, fecha a roda do ka) e encerra a história de Roland, o pistoleiro, e sua busca interminável pela Torre Negra. O final desse livro é surpreendente e, ao mesmo tempo, o leitor não consegue imaginar outra maneira de terminá-lo. A mensagem que ele traz simplesmente estava lá todo o tempo, em todos os livros. E a história é tão contemporânea que atravessou anos (mais de 30!) até ser finalizada, e ainda assim não perde o encanto, o interesse. Tenho certeza que sua mensagem será transmitida por mais 30 anos, e outros 30, e mais outros…

Quem é você, Alasca?, Jonh Green

Eu gostei de Jonh Green antes de ler seus livros, quando a Vânia (minha Parceira) me apresentou os seus vídeos e disse que eu tinha que ler os livros desse cara. Quando ela me enviou “Looking for Alaska” (2010, aqui no Brasil), eu o li assim que pude e me apaixonei por essa história (resenha aqui). Simples, sensível e verdadeira, mas ao mesmo tempo profunda e cheia de significado. Jonh Green mostra exatamente como nos sentimos na adolescência, sem floreios, sem clichês, e cala fundo com a mensagem do livro. Uma história que espero que adolescentes e adultos continuem a ler por muitos anos, assim como as próximas gerações.

Jogos Vorazes, Suzanne Collins

Repetir sobre o quanto esse livro é bom seria repetir tudo o que a Lany disse na sua resenha, além disso, se você não estava em outro planeta em março, sabe que a adaptação do primeiro livro (lançado em 2010, no Brasil) da série saiu há pouco nos cinemas. Mas eu realmente gostaria (e acho) que esse vai ser um livro que vai durar por muitos anos. Apesar de ser uma distopia, sua mensagem é atual; o livro também tem muito sobre política, e sobre como a humanidade pode ser baixa e terrível, e infelizmente, isso é muito atual. Talvez daqui a 30 anos não seja mais (com sorte) e esse seja um livro que nos lembre como não devemos ser (e como devemos ser, devemos ser com o Peeta e a Katniss – tirando a teimosia dela rs).

O Ladrão de Raios, Rick Riordan

Assim como Harry Potter, Percy Jackson é um livro que eu também quero ler para meus filhos.  É uma fantasia deliciosa, que tem como tema uma história que resiste por milhares e milhares de anos: a mitologia grega (e romana). “O Ladrão de Raios” (2008) é o início dessa saga, que na verdade ainda não terminou, pois agora estão sendo lançados os livros da série “Os Heróis do Olimpo”, que continua e complementa a série de Percy Jackson. É um livro que eu espero que perdure por gerações e continue encantando crianças, jovens e adultos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Carolina disse:

    Boa tarde!! Já li 60% da sua lista, e desses livros que eu já li, eu concordo com certeza. Os que eu ainda não tive a oportunidade de ler foram: Quem é você, Alasca? (achei a sinopse dele bem interessante); A torre negra (pasmem, ainda não li ); As vidas de Chico Xavier; e o Circo da noite. O livro 3096 dias me deixou emocionada e ao mesmo tempo aterrorizada, pois é difícil imaginar alguém conseguir passar pelo que a garota passou. Adorei sua lista! Beijos

  • Karen disse:

    Oi Carolina! 🙂
    3096 dias é sensacional. Emocionante e aterrorizante, e eu me senti super pequena diante da coragem da Natascha. Ainda vou relê-lo para postar resenha aqui no blog, faz um tempão que eu li…
    Recomendo muitíssimo os outros que você disse que ainda não leu. Também tenho planos de fazer resenha de toda a Torre aqui, estou com saudade de fazer essa jornada novamente. Alaska é delicioso, reflexivo e emocionante. =)
    Ah, eu recomendo todos, foram ótimas leituras, cada um deixou uma marca especial! 😉 Fico feliz que gostou da lista!!!

  • Lany disse:

    Adorei a sua lista Kakazinha!
    Harry Potter é um livro que com certeza eu vou convencer todo mundo a ler. Eu AMO, AMO, AMO! E quero que todo mundo conheça esse mundo mágico e lindo. Sem contar todas as mensagens que são passadas pela história!
    Eu amo a “Menina que Roubava livros”, mas acho que o “Eu sou o Mensageiro”, do mesmo autor, seria uma ótima escolha também. Eu chorei muito nele e ele passa uma mensagem linda no final!
    Ainda não li “Cidade do Sol”, mas já li “O Caçador de Pipas”, então já imagino como deve ser o livro!
    E Jogos Voraaazes? Eu fiz a maior propaganda quando terminei de ler. E VOU CONTINUAR FAZENDO! Aliás, eu me lembro que foi a minha primeira resenha no blog, e eu falei com a Ily “Nossa, eu tenho que falar sobre esse livro, porque é muito bom!”. Naquela época poucas pessoas conheciam a série…
    Enfim, eu acho que quem faz um livro ser conhecido são os leitores. Então, nós que temos que divulgar e dar sugestões para nossos amigos, familiares e conhecidos! Assim, se eles gostarem, também vão indicar, e o livro continuará firme e forte daqui há muito tempo…

  • Top Ten Tuesday: 10 livros que me fazem pensar no mundo, nas pessoas, na vida… « Por Essas Páginas disse:

    […] já falei desse livro em algum TTT. Mas é que ele realmente é um livro que marca quem o lê. E o motivo disso é porque ele faz o […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem