Top Ten Tuesday: Dez livros para quem gosta de contos

ttt2013

Muitas vezes vejo por aí pessoas dizendo que não gostam de contos. Sempre fico tremendamente assustada quando ouço isso. O conto é um dos gêneros mais prósperos e tradicionais no Brasil; temos contos de alta qualidade, desde os nossos escritores clássicos (como Machado de Assis, Clarice Lispector, Carlos Drummond de Andrade, só para citar alguns), passando pelos escritores contemporâneos (Moacyr Scliar, Luis Fernando Veríssimo) e chegando aos novos contemporâneos que, com a ajuda da organização de antologias por editoras e usando a Amazon como ferramenta, aumentam ainda mais a produção de contos nesse país. Isso sem falar que é um dos gêneros que mais se premia em concursos literários nacionais. O conto é um gênero conciso, que contém uma história completa, várias vezes muito mais instigante por não conter nenhum tipo de “enrolação” devido ao seu tamanho reduzido, com finais muito mais carregados de tensão e reflexão na maior parte do tempo. Muito se engana quem pensa que ele perde o que quer que seja comparado ao romance. Citando o próprio Moacyr Scliar:

“Eu valorizo mais o conto como forma literária. Em termos de criação, o conto exige muito mais do que o romance… Eu me lembro de vários romances em que pulei pedaços, trechos muito chatos. Já o conto não tem meio termo, ou é bom ou é ruim. É um desafio fantástico. As limitações do conto estão associadas ao fato de ser um gênero curto, que as pessoas ligam a uma ideia de facilidade; é por isso que todo escritor começa contista” (In Folha de S. Paulo, 4 fev. 1996, p. 5-11).

Percebem? Dificilmente um escritor já começa derrubando forninhos com um romance. Mesmo que ele publique primeiro um romance, ele certamente escreveu, em algum momento, contos, histórias mais curtas. E a gente pode até sair do Brasil atrás de exemplos: Edgar Alan Poe foi consagrado por seus contos e não pelos (poucos) romances; Stephen King, ao meu ver, é um grande romancista, mas nunca para de escrever contos e, para mim, seu melhor terror, o mais assustador, está justamente neles. E os contos de fada? Eles não têm esse nome por acaso. A história da Cinderela, por exemplo, começou com um… conto!

Vamos abrir o coração, gente e parar de preconceito literário com esse gênero? Deem a si mesmos uma chance. Experimentem! E a lista de hoje é composta exatamente por algumas recomendações do gênero, focando especialmente na produção nacional recente, que reafirma nossa tradição de contistas no país.

Lembrando que o Top Ten Tuesday é uma iniciativa do blog The Broke and the Bookish!

TRIPULACAOEXCALIBURTORRETRASGODEUSES
Tripulação de esqueletos (coletânea de contos), Stephen King

Apesar do que eu disse lá em cima, resolvi começar por um livro estrangeiro, já que (infelizmente) eles sempre são recebidos com maior facilidade. Então, quem sabe, ele não possa ser uma porta de entrada para quem não curte o gênero? Mas a indicação é mais do que justa; afinal, é Stephen King e um dos seus melhores livros (um dos meus favoritos). Tripulação de esqueletos, que foi relançado com nova capa pela Suma de Letras recentemente, é para mim uma das melhores seleções de contos do mestre do terror (nunca consigo me decidir entre ele e Sombras da Noite). Um exemplo: vocês já ouviram falar de “O Nevoeiro”? Ele foi transformado em filme em 2007 (um ótimo filme, aliás!), nas mãos do diretor Frank Darabont (o mesmo de Walking Dead – quando a série ainda era boa). Pois bem, ele é o conto que abre Tripulação de esqueletos; e não é o único conto ótimo dessa seleção, posso citar outros que nunca, nunca esqueci (e já li o livro há anos): “Aqui há Tygres”, “O Atalho da Sra. Todd”, “Nona”, “Tipo de Sobrevivente” e o meu preferido, um dos mais brilhantes do King, “O Processador de Palavras dos Deuses”. Você não ainda não leu Stephen King se não leu, no mínimo, uns bons cinco contos dele.

Excalibur (coletânea de contos), org. Ana Lúcia Merege

Você curte histórias do Rei Arthur? (ok, não precisa ser exatamente dele, quem sabe você prefira o Lancelot, a Guinevere ou, como eu, a Morgana!) Pois é, essa antologia da Editora Draco organizada pela competente Ana Lúcia Merege é um livro excepcional que trata do gênero. Com contos que vão da ficção científica à fantasia histórica, Excalibur possui histórias fantásticas e é leitura obrigatória para quem curte a lenda arturiana. Mas quem não é tão fã assim também vai amar. As histórias são criativas e envolventes, e o acabamento editorial do livro é de arrasar. Tem resenha dele aqui.

A Torre Árabe (conto individual), Roberta Spindler

E quando um conto é tão ÓTIMO que vira um romance? Impossível? Nem um pouco! A Torre Acima do Véu, da Roberta Spindler, que saiu pela Giz Editorial é prova disso (resenha – do romance – aqui). O livro foi derivado do conto distópico A Torre Árabe, que saiu em e-book pela Editora Draco (resenha – do conto – aqui), mas já não está mais disponível nessa versão, obviamente, por causa do livro. Mas, cá entre nós, gostei bastante do livro, mas ainda prefiro o conto. O romance, por ser mais extenso, acabou perdendo um pouco do mistério, da ambiguidade, do clímax que o conto deixava no ar… Ambos são muito bons, mas… conto > romance! 🙂

Revista Trasgo (várias edições de coletâneas de contos), editor Rodrigo van Kampen

Eu já falei da Trasgo, já tivemos até um Concurso Cultural (e talvez ele é que tenha me inspirado a fazer esse top de hoje). A revista é uma publicação independente, trimestral, que publica contos de fantasia, ficção científica e terror de autores nacionais, bem como entrevistas e ilustrações, também de um autor brasuca. A qualidade é excelente; fiz resenha da Trasgo #1 aqui e da Trasgo #2 aqui. As quatro primeiras edições estão disponíveis para baixar gratuitamente no site da revista, e só a partir do ano 2 (Trasgo #5) a revista começou a ser vendida por um preço baixíssimo. Super recomendo.

Sobre guerras e deuses (conto individual), Eduardo Kasse

Você curte guerra? Sangue? Literatura medieval? Então Eduardo Kasse é o nome para você, meu amigo. É claro, ele também tem romances publicados (leia as resenhas), mas uma vantagem enorme dos contos é: você pode conhecer o trabalho de um autor pagando pouco e lendo um texto rápido. Aí, se o texto te conquistar, você resolve se vai investir num romance. Mas nesse caso sinto que, quem der a chance, vai investir; o autor é um mestre em criar cenas de ação, cheias de sangue e precisão histórica. Ah, e ele escreve sobre vampiros na era medieval, ok? Vampiros de verdade, mas ainda assim, muito sensuais. Hum, hum! (Ah, tem resenha do conto aqui.)

DOCTORWHOBOYSLOVEDRAGOESNEONPIRATAS

Doctor Who: 12 doutores, 12 histórias (coletânea de contos), Vários Autores (entre eles Neil Gaiman, Holly Black, Richelle Mead e Eoin Colfer)

Se você vive na Terra ou mesmo se for um alienígena, você certamente já ouviu falar de Doctor Who. Sim, é aquele cara meio doidão, de outro planeta, que viaja pelo tempo e espaço dentro de uma caixa azul chamada TARDIS. Acontece que esse cara tem 12 regenerações (12 atores o interpretaram na série, longa história, isso para não mencionar o incrível War Doctor) e como reunir todos eles em um livro? Chama pra um churrasco com cerveja? NÃO, GENTE! CONTOS! Contos são a solução! O livro, que saiu pela Rocco, reúne 12 contos, cada um sendo uma história de um Doutor. Ainda não li todos, mas, obviamente, já li o conto do Derek Landy sobre o 10th Doctor (TENNANT!!! *coraçõezinhos voando*). O negócio é fabuloso, gente. Eu quase ouvia a voz do David Tennant nos diálogos de tão fiel que é. Estou ansiosa para ler os outros contos. Acho que o próximo será o 12th, do Capaldão.

Boy’s Love: histórias de amor sem preconceito (coletânea de contos), org. Tanko Chan

Então o que você quer é inclusão? Amor lindo entre meninos? Romance entre garotos? Pois aí está, gente! Essa antologia reúne contos fofíssimos e muito bem escritos sobre Boy’s Love. É uma seleção extremamente sensível, que reúne fantasia e ficção científica, tudo isso regado, sempre, a muito romance. Tem um conto maravilhoso sobre um mago que encontra o amor de sua vida numa confeitaria, com a ajuda de um doce (sim, um mago que cozinha doces mágicos! Quer mais amor?! Own!). Tá bobeando se não leu só porque são contos. Saiba mais sobre o livro aqui e aqui no site da Editora Draco.

Dragões (coletânea de contos), org. Erick Santos Cardoso e Marco Rigobelli

Dragões que viram gente. Dragões que matam e que salvam. Dragões investigadores. Dragões mitológicos. Dragões everywhere! Essa antologia é muito boa, gente. Também, pudera, foi feita a partir de uma seleção com mais de 130 contos! Tem histórias de terror, mistério, fantasia, romance… E não indico só porque estou nela (leiam a resenha do conto aqui), mas sim porque eu já li quase todos os contos e eles são excepcionais! E a edição da Editora Draco também é linda, caprichada ao extremo. Fica lindão na estante. Dá pra saber mais do livro clicando aqui.

Neon Azul (romance fix-up), Eric Novello

Peraí, deixa eu ver se eu entendi. Você faz um post falando de contos e coloca um romance no meio? Tá maluca? Não, amigos, esse não é um romance qualquer. É um fix-up. Ele, na verdade, é a reunião de dez contos que se passam, todos, na mesma boate: Neon Azul. Louco, não? Pois é, eu também acho. Tô bem curiosa para ler esse livro. O Eric Novello também publicou recentemente um livro pela Gutenberg (que eu também quero ler), mas, primeiro, quero ler esse que saiu pela Draco. Leia mais sobre o livro aqui.

Piratas (coletânea de contos), org. Karen Alvares

Marmelada! Você que organizou esse! É, pode até ser, mas vem cá, se eu coloquei esses contos em um livro, é porque eu li e gostei, né? Então posso indicar! (HO-HO-HO #lógicamaligna) Essa antologia reúne contos de Pi-ra-tas, dos mares, do céu, de dados digitais, falsificadores de bolsas (sim, dá pra acreditar?!) e muito mais. Assim, sei não, mas você tá perdendo de não ler só porque são contos. Sem contar que a capa tá mais bonita que mil garrafas de rum! Saiba mais aqui ou no site da Editora Cata-vento.

E, então? Convencidos? Quero ver todo mundo dizendo que, no mínimo, vai tentar ler um conto. Além dessas indicações, vocês podem também seguir a tag contos ou a contos do dragão no blog e ver mais resenhas!

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Março. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Renata Olimpia disse:

    Ja estou em busca de alguns contos…

  • Karen disse:

    OBA!!! Depois conta pra gente quais leu! 🙂

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu não sou acostumado a ler contos, tenho que passar a ler, mas não sabia que Tripulação de esqueletos era um livro de contos, gosto demais de Stephen King é um dos meus autores preferidos.

  • Karen disse:

    Douglas, comece a pegar o costume! Contos são ótimos! 😉 Quem sabe você não se interessa por eles ao ler Tripulação de Esqueletos ou outro livro de contos do King? Aí depois você passa pros brasucas!!!

  • Ana Lúcia Merege disse:

    Sou suspeita pra falar porque estou em alguns desses, mas é uma ótima seleção mesmo. E, sim, seria ótimo as pessoas se familiarizarem mais com o gênero conto!

  • Karen disse:

    Quem manda você escrever contos tão bons e organizar antologias tão legais? Aí aparece assim, vinte vezes no mesmo post! hahahahaha

  • Gustavo disse:

    Eu gosto de contos em coletaneas, individuais é muito dificil eu pegar por não conseguir gostar de ebooks. Sou muito fã da coletanea do Stephen King “Ao cair da noite”, que ganhei de uma amiga, e foi meu primeiro contato com o autor. Tambem adorei a coletanea “A sete palmos” de um autor brasileiro que esqueci o nome. Adoro contos, desde que sejam em coletaneas bem recheadas, estou louco para ler “Piratas”, “Dragões”, “Boys love”, “Excalibur” e “Tripulação de esqueletos” (que não sabia que era contos, mas sempre é bom ler Stephen King *-*

  • Karen disse:

    Oi Gustavo! Eu também gosto muito das coletâneas, mas por não gostar de e-books você perde no quesito – PREÇO. Às vezes você se interessa por um conto e sai muito mais barato adquiri-lo sozinho em e-book, se a editora oferece essa opção.
    Quero muito ler “Ao cair da noite”! 🙂 E espero que tenha ótimas leituras com os livros que recomendei, depois passa aqui e comenta deles! 🙂

  • Liége disse:

    Muito boa a seleção! Karen, um livro de contos que também é bem bacana é “Venha ver o pôr-do-sol e outros contos”, da Lygia Fagundes Telles. Eu adoro o conto “As Formigas”, li o livro na adolescência e nunca me esqueci dele!

  • Karen disse:

    Anotei a recomendação, Liége! 😉 E fico feliz de você estar representada nesse top por Excalibur. Seu conto no livro é incrível! (e muito assustador – adoro!)

  • Lary Zorzenone disse:

    Eu não sei qual o preconceito das pessoas com contos. Muitas vezes, é mais fácil conhecermos um autor lendo um conto do que um romance. E também é uma boa pedida para embarcar em algum gênero literário que fuja da sua zona de conforto. Tenho vários livros de contos e gosto de, vez ou outra, ler um conto aleatório. É tão bacana.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco 

  • Karen disse:

    Eu também não entendo, Lary! Por isso fiz o Top! Quando vejo as pessoas dizendo isso… ai, me dá um desânimo da vida! Blé. Como você disse, é muito mais fácil e barato descobrir um autor pelos contos. E dá pra você ler rapidinho na fila de banco, sei lá, é tão prático e dá uma sensação tão boa no final. Ah!

  • Netto Baggins disse:

    Eu adoro contos, mas minhas últimas experiências nesse gênero não foram muito boas: 20 Contos do Truman Capote (que achei meio pretensiosos, e ainda não terminei, apesar de ter começado há meses) e A Cidade Inteira Dorme, do Ray Bradbury, que vão de ok a decepcionantes. Morro de vontade de ler contos do Stephen King, só li romances. No mais, todos da sua lista me interessaram!

  • Karen disse:

    Huuummm… eu tenho A Cidade Inteira Dorme. Não li, o marido (o Felipe aqui do blog) leu e quase quis jogar na parede. Aí nem animei. Mas olha, Netto, recomendo com lasers todas essas recomendações do Top. E os contos do King, ah, são as melhores coisas dele!

  • Isa Aragão disse:

    Ah gente, como alguém pode não gostar de contos? Ler e escrever contos está no meus top 5 de coisas que mais amo fazer haha Já publiquei dois contos pela editora Andross. (Vender meu peixe aqui). Na Antologia de Amores (Im)possíveis, meu conto é Paixão. E no livro Aquarela é O menino da livraria.

  • Karen disse:

    Menina, sério?! QUE NOTÍCIA LINDA! Parabéns!!! Ai, ai, fiquei toda feliz aqui, mais uma escritora/leitora do blog! 🙂 Também comecei pela Andross, é uma ótima porta de entrada, daqui pra frente é só trabalhar e publicar mais! Boa sorte! Fica ligada nas antologias da Cata-vento, da Draco e da Buriti, elas sempre estão abrindo submissões! <3

  • Laís Helena disse:

    Uma das minhas metas de leitura para 2015 era ler (e escrever) mais contos; estas parecem ótimas sugestões. Eu pretendia enviar um conto para a antologia Piratas, mas acabei não tendo ideias a tempo (meses depois, ironicamente me surgiu uma ideia que encaixaria no tema). Porém, a editora Buriti de tempos em tempos abre novas antologias, que sempre são muito interessantes.

    Abraços!

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem