Top Ten Tuesday: Top 10 livros com “mundos” mais reais

Olá,

O Top Ten Tuesday dessa semana tem uma tema muito interessante. Uma mesma história pode acontecer em diferentes locais, mas nem sempre terá o mesmo efeito. Por isso é importante para o autor que ele escolha muito bem qual vai ser o ambiente da sua história. Existem aqueles livros que se passam em um outro mundo, numa sociedade distópica, ou simplesmente no futuro… E existem aqueles que se passam no nosso dia-a-dia, mas com a adição de algo sobrenatural! Mas o mais importante é que o leitor entre na história e acredite, mesmo por alguns instantes, que aquilo tudo é… real!

Então essa é a lista da semana: Top dez livros com “mundos” mais reais! Lembrando que o Top Ten Tuesday foi criado pelo blog The Broke and the Bookish!

1. O Senhor dos Anéis, J.R.R.Tolkien: Logo quando eu li esse tema, foi o primeiro livro que eu me lembrei! O mundo de Tolkien é muito rico: existem diferentes seres, cada um com as suas características, tanto físicas quanto culturais. E algo que sempre me chamou muita atenção: até línguas diferentes ele criou! O livro possui tantos detalhes, que às vezes a leitura fica um pouco “arrastada”. Mas isso tudo tem um bom motivo: Tolkien queria que a gente imaginasse tudo como ele também imaginou. E é por isso que eu acho que os filmes complementam muito bem os livros (até porque, nessa série, os filmes foram excelentes adaptações).

2. As Crônicas de Nárnia, C.S.Lewis: Essa série é tão linda! Já é incrivel a maneira que você entra em Nárnia! Sabe aquele local que você quando criança acreditava ter um bicho-papão? Que nada, você pode através dele ir para um mundo fantástico onde faunos existem e animais falam! Acho linda a forma que as crônicas são escritas, especialmente a primeira (na ordem cronológica da história) que conta como Nárnia foi criada.

3. Harry Potter, J.K.Rowling: Vocês realmente achavam que ele ia ficar fora da minha lista? Uma das coisas mais interessantes nessa série é que ela se passa no nosso dia-a-dia mas com um pequeno detalhe a mais: a magia. E um castelo lindo e maravilhoso que nós acabamos também adotando como lar por causa de todo o carinho que o Harry tem pelo lugar.

E mesmo com toda a parte da magia, nós ficamos nos perguntando “Mas eu já fiz onze anos, CADÊ A MINHA CARTA DE HOGWARTS?”. Afinal, o Ministério da Magia não quer que os trouxas descubram sobre os bruxos. Então, até que me provem o contrario, Hogwarts existe! E quando algum dos meus pertences somem, na verdade é um bruxo pregando uma peça em mim…

(E NADA de me dizer que Remus Lupin é um personagem fictício e que por isso ele não existe!)

4. Jogos Vorazes, Suzanne Collins: É uma distopia tão bem escrita, tão bem baseada na nossa sociedade, que eu fico realmente com medo de que um dia isso tudo se torne realidade. Os Jogos são tão parecidos com os nossos reality shows (por exemplo, o que mais tem no Big Brother é gente formando casal para poder ganhar o publico e não sair do programa…). E ainda tem a forma como a Capital domina os Distritos: através da fome e do medo. Ou seja: todas as peças para que em um futuro distante (ou não tão distante) isso aconteça já existem. E isso traz toda a história para bem próximo de nós!

5. A Hospedeira, Stephenie Meyer: Neste mundo futurista, os humanos se tornaram hospedeiros dos seres invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. Quando eu fui ler esse livro, várias pessoas comentaram sobre uma parte chata que explicava sobre os planetas e todo o background da história. Eu adorei esse parte e achei muito interessante como a Stephenie usou essa ideia para escrever o seu romance. Mas, infelizmente, ela ainda precisa aprender a dar bons finais para os seus livros (ou séries).

6. Delirium, Lauren Oliver – Eu achei muito interessante a proposta do livro: o amor sendo tratado como uma doença. Eu adorava quando apareciam trechos do Book of Shhh, porque realmente, todos os sintomas dessa terrível doença fazem sentido. Mas, quando vamos analisar como é um mundo sem amor… Realmente percebemos que somos nada sem ele!

7. Percy Jackson, Rick Riordan – O que eu mais adoro nessa série (depois do Percy, é claro) e que me encantou desde o início foi a forma como os deuses do Olimpo são retratados. Afinal, Poseidon de bermuda florida e de chinelo? ADOREI!  Se os deuses existem e estão por aí, por que eles não iriam se adaptar a nossa forma de vida? Todas as vezes que tem uma chuva com muitos relâmpagos, eu sei: Zeus esta furioso. E provavelmente, com Poseidon.

E é claro: com a névoa, a gente nem percebe os monstros que convivem entre nós (vai que aquela pessoa chata do trabalho/escola não é um?).

8. A menina que roubava livros, Markus Zusak – Esse livro é diferente dos outros que eu citei, já que ele se baseia em um fato marcante do nosso passado: o nazismo. Mas, a narradora é completamente diferente de qualquer outro livro que trata sobre o tema. E é ela quem faz o diferencial nesse livro. Afinal, não é sempre que a Morte conta uma história, não é mesmo? E ela tem opiniões tão diferente sobre os humanos e fala de uma forma as vezes tão poéticas e outras tão simples, que o livro me prendeu completamente da primeira até a ultima página!

9. The Golden Lily, Richelle Mead – Sim, eu sei, vampiros não existem. E o forte da Richelle Mead não é o background do mundo sobrenatural que ela criou (apesar de terem certos pontos que eu acho muito interessantes e que são diferentes de outros livros de vampiros). Mas eu o coloquei nessa lista porque além do o ambiente de uma história, os personagens são também importantes. Em muitos casos são eles que nos transportam para as páginas do livro. E toda a relação entre Sidney e Adrian foi tão bem escrita que eu terminei o livro com um sorriso no rosto e fiquei dias assim. Eu senti tanto lendo esse livro que não tem como de alguma forma ele não ser real.

(E claro que meu lado fangirl gostaria muito que o Adrian existisse).

10. Anna e o Beijo Francês, Stephanie Perkins: Bom, esse livro se passa na sociedade atual e na França. Ou seja, nada de muito diferente. Se formos olhar o tema desse livro, ele poderia se passar em qualquer cidade turística. Mas, em nenhuma das opções teria o mesmo charme que Paris! Quando eu o li, eu nunca tinha visitado essa cidade. Mas a autora conseguiu fazer com que eu realmente acreditasse estar visitando todos aqueles lugares junto com a Anna e o Étienne. E a própria cidade interage com os personagens, fazendo com que o romance dos dois se torne mais inesquecível ainda!

E vocês, quais são os livros que escolheriam para essa lista?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Carolina disse:

    Bom dia Lany, tudo bem? Adorei esse top 10… dos livros que eu li, realmente adorei os mundos criados; senhor dos anéis, jogos vorazes, nárnia e até mesmo anna e o beijo francês, que me fez querer ir a Paris ao terminar o livro rs..
    Adorei o post, parabéns..
    Beijos

  • Melissa de Sá disse:

    Lany, adorei seu top10! Realmente, todos esses lugares são super reais e O Senhor dos Aneis ficar em primeiro lugar não é nada mais que merecido!

  • Marcelle disse:

    Adorei , eu ainda estou esperando a minha carta Hogwarts.

  • Karen Alvares disse:

    Lany, que demais seu top 10! Acho que o meu seria muito parecido, exceto um ou dois livros, e acho que você sabe quais (rs).
    A minha carta ainda não chegou. Minha coruja deve ser a Errol ou estar bêbada. Ou morreu no caminho. Pobre coruja idiota.
    Acho que na minha lista eu incluiria “O Circo da Noite” porque, AHHHHHH, é demais e um mundo maravilhoso, que você fica decepcionado por não ter um ingresso.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem