TTT: 10 Livros na Lista de leitura do Outono

Ah o Outono… morando em uma região onde ele realmente pode ser sentido, visualizado e vivido intensamente, o Outono é sem sombra de dúvidas minha estação preferida. E para curtir as temperaturas amenas após um verão escaldante, nada melhor do que pegar um apple cider ou pumpkin spice latte na Starbucks e se aconchegar embaixo de uma fina coberta com um bom livro nas mãos! Apesar de no Brasil ser o início da Primavera, eu não conseguiria fazer uma lista de primavera, me desculpem. O outono é tão mais propício à leituras que apesar da Lucy ter feito uma lista similar, eu simplesmente não resisti!

Eu sei, eu sei. O Top Ten Tuesday deveria ter sido postado na terça-feira de acordo com seu blog criador The Broke and the Bookish, mas infelizmente eu não tive tempo. Mas antes tarde do que nunca, certo?

1. The Casual Vacancy, J.K. Rowling

When Barry Fairweather dies in his early forties, the town of Pagford is left in shock.
Pagford is, seemingly, an English idyll, with a cobbled market square and an ancient abbey, but what lies behind the pretty façade is a town at war.
Rich at war with poor, teenagers at war with their parents, wives at war with their husbands, teachers at war with their pupils…Pagford is not what it first seems.
And the empty seat left by Barry on the parish council soon becomes the catalyst for the biggest war the town has yet seen. Who will triumph in an election fraught with passion, duplicity and unexpected revelations?

E teria como ser diferente? É claro que o primeiro livro dessa lista teria que ser da diva. Honestamente, eu nem me lembro direito o pouco que ouvimos sobre essa história; a única coisa que importa é que foi a Jo quem a escreveu, então não tem como o livro ser ruim.

2. Marcelo no Mundo Real, Francisco X. Stork

Marcelo Sandoval ouve música que mais ninguém consegue ouvir — parte de uma condição próxima ao autismo que nenhum médico conseguiu identificar. Mas seu pai nunca acreditou verdadeiramente na música ou nas diferenças de Marcelo, e o desafia a trabalhar no seu escritório de advocacia durante o verão… para fazer parte do “mundo real”. Lá, Marcelo aprende sobre competição e inveja, ódio e desejo. Mas é uma fotografia que Marcelo encontra em um arquivo — a imagem de uma garota com o rosto pela metade — que realmente o conecta com o mundo real: o sofrimento, a injustiça, e o que ele pode fazer para mudar isso.

Faz um bom tempo que quero ler a história de Marcelo, um garoto autista que sempre estudou em escolas especiais. Um dia, seu pai decide que Marcelo deve obter a experiência do “mundo real” e por isso ele começa a trabalhar na firma de seu pai.

3. The Raven Boys, Maggie Stiefvater

It is freezing in the churchyard, even before the dead arrive.
Every year, Blue Sargent stands next to her clairvoyant mother as the soon-to-be dead walk past. Blue herself never sees them—not until this year, when a boy emerges from the dark and speaks directly to her.
His name is Gansey, and Blue soon discovers that he is a rich student at Aglionby, the local private school. Blue has a policy of staying away from Aglionby boys. Known as Raven Boys, they can only mean trouble.
But Blue is drawn to Gansey, in a way she can’t entirely explain. He has it all—family money, good looks, devoted friends—but he’s looking for much more than that. He is on a quest that has encompassed three other Raven Boys: Adam, the scholarship student who resents all the privilege around him; Ronan, the fierce soul who ranges from anger to despair; and Noah, the taciturn watcher of the four, who notices many things but says very little.
For as long as she can remember, Blue has been warned that she will cause her true love to die. She never thought this would be a problem. But now, as her life becomes caught up in the strange and sinister world of the Raven Boys, she’s not so sure anymore.

Confesso que só fui saber mais ou menos do que se trata esse livro ao fazer esse post. Mas ele já estava na minha lista de leitura imediata assim que foi anunciado. O motivo? Maggie Stievfater. Sem mais.

4. The Espressologist, Kristina Springer

What’s your drink of choice? Is it a small pumpkin spice latte? Then you’re lots of fun and a bit sassy. Or a medium americano? You prefer simplicity in life. Or perhaps it’s a small decaf soy sugar-free hazelnut caffe latte? Some might call you a yuppie. Seventeen-year-old barista Jane Turner has this theory that you can tell a lot about a person by their regular coffee drink. She scribbles it all down in a notebook and calls it Espressology. So it’s not a totally crazy idea when Jane starts hooking up some of her friends based on their coffee orders. Like her best friend, Em, a medium hot chocolate, and Cam, a toffee nut latte. But when her boss, Derek, gets wind of Jane’s Espressology, he makes it an in-store holiday promotion, promising customers their perfect matches for the price of their favorite coffee. Things are going better than Derek could ever have hoped, so why is Jane so freaked out? Does it have anything to do with Em dating Cam? She’s the one who set them up! She should be happy for them, right?

Café e romance = leitura leve e perfeita para um dia de chuva preguiçoso!

5. O Hobbit, J.R.R. Tolkien

Inesperadamente, Bilbo Bolseiro, um hobbit de vida confortável e tranquila no Condado recebe a visita de 13 anões e Gandalf que o arrastam em uma jornada através das montanhas e das terras ermas enfretando trolls, orcs, wargs, elfos para o resgate de um tesouro muito bem guardado por Smaug, o dragão. Bilbo se vê em diversas confusões e encontra algo que mudaria não só sua vida como de toda Terra-Média.

Sim, eu sei, eu sei. Que vergonha eu nunca ter lido O Hobbit. Em minha defesa, eu já o peguei para ler uma vez mas foi logo após terminar O Silmarillion, e bem, não deu certo. Mas ele está aqui, guardadinho, esperando para que eu peruse suas páginas mais uma vez. E com o filme sendo lançado em Dezembro, essa leitura deve ser feita antes!

6. A Entregadora de Cartas, Sarah Blake

Em 1940, o caos se instaura na Europa. Direto da Blitz de Londres, a correspondente norte-americana Frankie Bard tenta mobilizar o maior número de pessoas com suas transmissões radiofônicas para que os Estados Unidos entrem na guerra. Em Franklin, uma pequena cidade de Cape Cod, em Massachusetts, Iris James, a agente dos correios toma uma importante decisão: não entregar cartas. Em uma noite de bombardeio, refugiada em um abrigo, Frankie conhece Will Fitch, um médico voluntário de Cape Cod, que carrega no bolso uma carta para sua amada esposa Emma. Três mulheres completamente diferentes. Três vidas entrelaçadas pelo destino. Dois mundos divididos pela guerra e segredos que precisam ser revelados, ou guardados para sempre.

Porque é um livro sobre a II Guerra Mundial e cartas. E porque ele se passa aqui em Massachusetts e está na minha estante há um bom tempo para ser lido. E também porque um romance de vez em quando faz bem pra alma (especialmente acompanhado de um capuccino delicioso).

7. Every Day, David Levithan

Every morning, A wakes in a different person’s body, a different person’s life. There’s never any warning about where it will be or who it will be. A has made peace with that, even established guidelines by which to live: Never get too attached. Avoid being noticed. Do not interfere.
It’s all fine until the morning that A wakes up in the body of Justin and meets Justin’s girlfriend, Rhiannon. From that moment, the rules by which A has been living no longer apply. Because finally A has found someone he wants to be with—day in, day out, day after day.
With his new novel, David Levithan has pushed himself to new creative heights. He has written a captivating story that will fascinate readers as they begin to comprehend the complexities of life and love in A’s world, as A and Rhiannon seek to discover if you can truly love someone who is destined to change every day.

A acorda todo dia em um corpo diferente. Sexo, raça, porte… tudo diferente. A única coisa que não muda é a idade das pessoas nos corpos das quais ele acorda: 16 anos. Mas A aprendeu a viver com isso, até acordar no corpo de Justin e se interessar por sua namorada, Rhiannon. O mais novo livro de David Levithan promete ser um de seus melhores!

8. The Mark of Athena, Rick Riordan

Annabeth is terrified. Just when she’s about to be reunited with Percy—after six months of being apart, thanks to Hera—it looks like Camp Jupiter is preparing for war. As Annabeth and her friends Jason, Piper, and Leo fly in on the Argo II, she can’t blame the Roman demigods for thinking the ship is a Greek weapon. With its steaming bronze dragon masthead, Leo’s fantastical creation doesn’t appear friendly. Annabeth hopes that the sight of their praetor Jason on deck will reassure the Romans that the visitors from Camp Half-Blood are coming in peace.

And that’s only one of her worries. In her pocket Annabeth carries a gift from her mother that came with an unnerving demand: Follow the Mark of Athena. Avenge me. Annabeth already feels weighed down by the prophecy that will send seven demigods on a quest to find—and close— the Doors of Death. What more does Athena want from her?

Annabeth’s biggest fear, though, is that Percy might have changed. What if he’s now attached to Roman ways? Does he still need his old friends? As the daughter of the goddess of war and wisdom, Annabeth knows she was born to be a leader, but never again does she want to be without Seaweed Brain by her side.

Preciso realmente falar alguma coisa? Vocês podem conferir as resenhas que a Lany fez dos dois primeiros volumes da série mais recente sobre os semi-deuses de Rick Riordan, O Herói Perdido e O Filho de Netuno. Sem contar que Mark of Athena terá a narração de Annabeth, e quem não adora a Annabeth?

9. Romeu e Julieta, William Shakespeare

Em Verona, na Itália, por volta de 1600, a rivalidade entre os Montecchios e os Capuletos acentua-se e os conflitos estendem-se a parentes e criados, apesar do apelo do príncipe pela paz.Num baile de máscaras na casa dos Capuletos, Romeu Montecchio conhece Julieta Capuleto.A paixão é mútua e instantânea.Ao descobrir que pertencem a familias inimigas, os dois se desesperam.Resolvem casar-se secretamente, com a cumplicidade de frei Lourenço.No entanto, o destino desse amor seria trágico.

Sim, eu conheço a história mas nunca li o livro. Também não a considero a maior história de amor de todos os tempos. Honestamente, eu acho o Romeu um babaca. Mas é Shakespeare afinal de contas, então vamos lá! Além do mais, talvez eu possa mudar de opinião após a leitura.

10. Under the Never Sky, Veronica Rossi

Aria has lived her whole life in the protected dome of Reverie. Her entire world confined to its spaces, she’s never thought to dream of what lies beyond its doors. So when her mother goes missing, Aria knows her chances of surviving in the outer wasteland long enough to find her are slim.

Then Aria meets an outsider named Perry. He’s searching for someone too. He’s also wild – a savage – but might be her best hope at staying alive.

If they can survive, they are each other’s best hope for finding answers.

Eu ganhei esse livro da Sabrina no meu aniversário e combinamos de ler juntas. Não ando com muita paciência pra distopias ultimamente, mas quem sabe até o final da estação a vontade de liberar espaço na lista infinita de leituras não me vença?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Carolina disse:

    Bom dia Vania, tudo bem?
    Como que eu faço quando eu quero 99,9999% dos livros de um post? rsrs…
    Vou acabar indo a falência desse modo!
    Adorei o post!
    Beijos

  • Lucy disse:

    Distopia que nem Jogos Vorazes é raro, né? rsrs Eu já li O hobbitt e achei um pouco cansativo, mas fiquei com um pouco de vergonha disso depois que soube que era um livro infantil hahaha.
    A minha lista de inverno, bem… u____u’ Se li 3 livros daquela lista foi mto. rsrs
    Gostei desse dos Raven Boys. Depois que vc ler e postar resenha, eu vejo se vale a pena. heheheh
    bjos bjos

  • Ceile disse:

    Ah, o meu mais desejado é The Raven Boys, Maggie Stiefvater. Acho que não pelo título, mas por ser Maggie. Poderia ser qualquer coisa hahaahaha.

    Adorei a capa de The Espressologist, Kristina Springer e concordo com vc: café e romance ♥

    Everyday quero muito ler pra conhecer David Levithan. Muita gente fala ~tão bem dele.

    Under never my skin vai sair pela Novo Século aqui, orando por uma boa revisão rsrsrsrs.

    Vamos ver o que sai no Brasil (talvez seja outono aqui hehe).

    Beijos!

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem