Top Ten Tuesday: Dez Autores Menosprezados

ttt2013

Eu confesso que não sou uma pessoa que se liga muito a autores. Neste quesito, peco e não presto muita atenção a nomes das pessoas que escreveram aquela obra que ganhou meu coração. Na realidade, acho que posso afirmar que só sei nome de autores que acabam sendo martelados em nossa mente pela mídia (ou pela “moda” da leitura) ou daqueles que estiveram muito presentes em minha vida, como a J. K. Rowling, por exemplo.

Assim, como um desafio para mim mesma, no TTT de hoje, vamos falar sobre autores menosprezados. Aqueles que escreveram obras lindas, fenomenais e que devem ser lidas, mas que pouca gente ouviu falar ou conhece.

Confesso que fiz o caminho reverso, indo pelos títulos e notando que, realmente, nunca notei muitas menções aos autores durante minhas caminhadas por blog e vlogs do mundo literário.

O Top Ten Tuesday é uma iniciativa do blog The Broke and the Bookish.

maquina-fazer-espanhois1. Valter Hugo Mãe: autor português incrível, me ganhou com A Máquina de Fazer Espanhóis. Com uma escrita diferente, porém muito agradável, Valter nos envolve em um mundo distante de nossa realidade de uma maneira surpreendente. É impossível não se afeiçoar aos personagens, não querer devorar uma página após a outra. Quando fui fazer a resenha do livro, fui em busca de resenhas para poder comparar minha opinião. Para minha surpresa, achei pouquíssima coisa. Mesmo com suas capas lindas feitas pela Cosac Nayfi, Valter Hugo ainda vive ligeiramente nas sombras e, com certeza, deve ser constantemente confundido com Vitor Hugo, o autor de O Corcunda de Notre-Dame e Os Miseráveis.

2. Laurie Halse: eu descobri a autora há pouco tempo, mas já me apaixonei por ela e descobri que já tive contato com outra obra sua através do cinema, sem saber. Laurie surpreende a tratar de assuntos delicados e polêmicos (como estupro e anorexia na adolescência) de uma forma simplesmente real. Ao invés de correr para os clichês e as frases prontas comumente encontrados em romances juvenis, ela se aproxima da sensibilidade desta época da vida e faz com que nos afeiçoemos as personagens de uma maneira genuína. A forma como ela constrói os pensamentos e atos de suas personagens convence, e convence bem demais. Em Garotas de Vidro, por exemplo, somos levados pouco a pouco a entender a inconstância de Lia, a personagem principal, e a sofrer junto a ela.DEPOIS_DAQUELA_VIAGEM_1236111843P

3. Valéria Piassa: autora brasileira, Valéria já esteve em maior evidência durante a minha adolescência. Hoje, mal se houve falar dela. Em seu maior romance (Depois Daquela Viagem), ela nos conta sua história real como adolescente infectada pelo HIV durante uma época onde a doença era mal conhecida, o tratamento difícil e caro, e o preconceito enorme. Depois disso, ela lançou diversos livros de contos e crônicas a respeito do cotidiano jovem. Me lembro que quando li suas obras, no passado, eu me apaixonei. Valéria sabe trazer aona os problemas adolescentes com uma leva e clareza há muito em falta hoje em dia. De uma maneira transparente e sem filtros, ela esclarece dúvidas e retrata questionamentos que quaisquer jovens passam ou passaram. Leitura recomendada para todos os jovens e apreciadores de obrar do gênero.

4. Chuck Palahnuik: aqui você pode dizer que estou sendo exagerada, afinal, o autor de O Clube da Luta todo mundo conhece. Mas agora, vamos parar e pensar quantas pessoas lerem o livro do Clube da Luta. E quantas pessoas leram (ou sabem que existem) outras obras do autor. Pois bem, agora temos um pouco. Chuck é um escritor ácido e incrível que nos envolve em suas narrativas de uma forma indescritível. Repleto de críticas e referências diretas a respeito de política, religião e o mundo, um livro dele vai além de uma simples leitura.

5. Ann Brashes: não sei se nos E.U.A. a autora é mais conhecida, mas aqui no Brasil, acredito que só tenha-se ouvido falar dela quando os filmes baseados em sua série de livros foram lançados. Autora de 4 amigas e 1 jeans viajante, Ann consegue criar um universo jovem real, conciso e que foge aos clichês que vemos hoje em dia nos young adults da vida. Suas personagens são verossímeis e as situações que vivem são reais, cotidianas e passíveis de acontecer com qualquer jovem normal. Com uma escrita leve e agradável, é inclusive uma ótima opção de leitura para quem quer treinar o inglês.

A-Passagem-Nova6. Justin Cronin: depois que descobri a Trilogia A Passagem, fiquei chocada sobre como este autor pode ser tão pouco divulgado e conhecido por aqui. Sério gente, para quem ama distopias bem construídas e trabalhadas, como eu, deve ser Justin Cronin. Ele nos leva a um mundo incrivelmente bem construído e evoluí nossos conhecimentos a respeito deste novo cenário aos poucos, sempre aumentando a tensão em torno da história. Leiam, sério!

7. John Boyne: conhecido como “o autor do Menino de Pijama Listrado”, sinto que John Boyne sofre um certo preconceito por parte dos leitores. Muita gente acha que tudo o que ele escreve é mesmo do mesmo simplesmente por uma opção da editora em manter suas capas bastante semelhantes. Pois bem, John Boyne não escreve apenas a mesma coisa, ok? Apesar de haver uma certa centralização em torno de temáticas que giram em torno de épocas mais distantes, pode ter certeza que cada obra será única e distinta, tendo em comum, obviamente, a escrita deliciosa e bem construída do autor.

8. Tess Gerritsen: ótima escritora de suspenses, achava que muita gente conhecia a autora já que há diversos volumes daqueles “vira-vira” cobrindo prateleiras da Saraiva. Para minha surpresa, no entanto, encontro poucas resenhas a respeito de seus livros. Se você aprecia CSI ou seriados focados em um bom mistério, você vai adorar Tess. Ela escreve de uma maneira agradável e constrói a tensão de forma que nos instiga a seguir para a próxima página cada vez mais rápido. Apesar de vez ou outra adivinharmos quem é o culpado, isso não tira o brilho dos livros. download (1)

9. Lionel Shriver: autor de um dos meus livros favoritos da vida (Precisamos falar sobre Kevin), sinto que a adaptação cinematográfica mais uma vez tirou a áurea da obra literária. Se você nunca viu o filme, sério, não veja até que você leia o livro antes. Lionel consegue ser cruel, sincero e impetuoso ao mesmo tempo. Construído personagens que não medem palavras, que não mentem e que chocam pelos sentimentos que fogem ao “padrão esperado”, sua narrativa é fenomenal e fantástica, despertando todos os nossos sentimentos ao mesmo tempo.

10. Lars Kepler: pseudônimo de um casal que escreve junto, Lars Kepler tem duas obras já publicadas. Ambos de suspense bem construído e de narrativa surpreendente. Com personagens que não declaram logo de cara suas reais intenções e com uma forma de conduzir a história que nos surpreende a mudar de rumo sem aviso prévio (mas de modo muito surpreendente), duvido que você consiga largar o livro de bom grado.

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Setembro. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Douglas Fernandes disse:

    Verdade, têm autores que sabemos o nome e a fama sem nem mesmo ter lido nenhum livro né… hahaahahah
    acho que John Green é um grande exemplo…
    mas eu gosto de saber o nome do autor quando leio um livro que me agrada, enfim, uma vez li um livro de um autor nacional Andre Vianco, adorei o livro e agora ele é um dos meus autores favoritos e quando eu tava lendo o livro ja vi o nome dele e ja comecei a pesquisar outros livros.
    Desses citados ai em cima eu reconheço John Boyne, já li O menino do pijama listrado e é bem legal, é um autor que quero muito ler outros livros, pq so li esse mesmo…

  • Karen disse:

    Leka, tem vários autores na sua lista que eu adoro! A Laurie e o John Boyne, principalmente (aliás, John Boyne é candidato a meu autor de cabeceira, NÃO ROUBE, okay? rs). Eu devoro tudo dele e detesto que as capas são semelhantes. Não tem nada a ver, aquele modelo deveria ser só pro Menino do Pijama Listrado, mas fazer o quê. Enfim, a Laurie também é incrível, como você viu na minha resenha, eu me apaixonei por ela em Garotas de Vidro e só aumentei o amor em Fale!. Incrível, incrível.
    Do Lionel só li Kevin mesmo, e adorei. Preciso ler mais dela. E você tem razão, o filme é péssimo. Justin Cronin só li A Passagem e confesso, é bom, mas achei cansativo. Ainda não tive coragem de ler Os Doze. Mas Lars Kepler eu não gostei… mas só li O Hipnotista deles também. Mas sei lá, esses casais/irmãos suecos e nórdicos, eu geralmente estou dando má sorte com eles. Nossos santos não se cruzam.
    Ótima lista!

  • Patrini Viero Ferreira disse:

    Nossa, eu nunca tinha parado pra pensar em autores de determinada obra que eu amo, acho que o único que nunca me sai da cabeça é o Tolkien de O Senhor dos Anéis. Mas realmente, John Boyne é muito amor, sem falar que eu adorei o livro da Valéria. Tentei ler Garotas de Vidro, mas a leitura ia quase parando, então acabei abandonando o livro, infelizmente. Adorei suas escolhas, e achei o tema de hoje muito justo!

  • Amanda Freitas disse:

    Eu realmente não me lembro de já ter visto alguma resenha desse autores, o que se você me perguntar, é triste. Alguns dos autores que estão aqui eu conheço, como a Tess Gerritsen, que é uma das minhas autoras favoritas (ninguém escreve um livro de ação ou suspense como ela) e não vejo muitos comentários a respeito das obras dela. Infelizmente! Bom, enfim, eu acho essa ideia de postas esse post simplesmente fenomenal, e gostaria que outros blogs também fizessem, para resgatar autores incriveis que foram esquecidos.

  • Nathalia Simião disse:

    Eita nóis, eu amei Garotas de Vidro mas não sabia o nome de quem escreveu. Ta aí a prova de que alguns autores são menosprezados mesmo, vixi. Laurie Halse que me perdoe. John Boyne é um que eu já acho bem famosinho e tal mas eu mesma nunca li. Acho qeu nós como leitores temos que começar a prestar mais atenção nos autores das incriveis obras que lemos né

  • Marília Sena disse:

    Parece ótimos autores, confesso que só conheço uns dois e mesmo assim não li nenhum dos livros deles. Infelizmente, alguns autores não recebem o reconhecimento que deveriam.

  • Suelen Mendes disse:

    Se tem uma coisa que tbm não sou mto ligada é a autores.Acho difícil jugar algum por uma obra,pq pra mim cada livro é difernte em quesito de escrita,mesmo sendo do mesmo autor.Dá pra nortar evoluções e quedas nas escritas até mesmo de um série.
    Dos autores citados a cima vou ser sincera e dizer que não conhecia nenhum,embora já tenha visto alguns dos livros deles.
    Bjus

  • Aline Ramos Costa disse:

    Eu adorei essa sua TAG, super criaitiva e informativa.Adorei a forma que você apresentou grandes autores. Dessa sua lista, eu já li vários livros de quase todos esses autores..mas, meus favoritos são John Boyne & Tess Gerritsen, adoro o trabalho deles..são obras sensacionais.

    bjs e fique com Deus

  • Shadai disse:

    coincidência, estou lendo pela primeira vez algo do Chuck, e lógico é Clube da Luta. meu irmão é fã dele, tem vários de seus livros, então ano que vem acho leio outro dele.

    não li Precisamos Falar Sobre o Kevin (meu irmão sim) apenas vi o filme e adorei, então comprei o Dupla Falta dela, que em breve lerei.

    tenho os 2 livros do casal Kepler, mas também ainda não os li. após comprar li umas resenhas que me desanimaram, mas certeza lerei um dia.

  • Michele Lopez disse:

    Oie…
    Nossa, tem uns autores ai que nunca ouvi falar na vida rsrsrs
    Só John Boyne que conheço!!
    Fico feliz em ter a oportunidade de conhecê-los através dessa coluna do blog!!
    Vou procurar saber mais sobre alguns deles que me interessaram

  • Bianca Martins disse:

    Cara, eu tbm sou assim…acabo n prestando atenção e nem guardando o nome dos autores das minhas obras favoritas…=/
    Daí as pessoas vem me perguntar e eu n sei responder…=//
    Destes autores msmo q vc citou eu n reconheci nenhum! hahaa…apesar de já ter lido alguns!
    É tão difícil guardar esses nomes estrangeiros…=/

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem